quinta-feira, 31 de março de 2011

Pedaços de vida - Estou a ver-vos...


Uma viagem ao Infinito, em que me perdi completamente.

 

 

 

Estou  a  ver-vos...

 

 

 






É mentira, não é nada confortável viver no passado.





E foi por isso que quis voar...



E consegui, a custo, chegar ao céu!








 





Mas depois, rapidamente fui até ás estrelas...



E espreitei maravilhado por detrás delas, até...












Voei tão alto, tão alto que passei para outra dimensão.










E fiquei perplexo a olhar para trás...


Mas ainda consegui ver o Mundo que deixara:












Não quero voltar...





Agora tenho um encontro marcado.



             ...e não sei bem como vai ser.










E interrogo-me, ansioso:


- A viagem valeu a pena?






Estou a ver-vos...

 



Agaixado no meio destas galáxias todas onde vim parar.


                            

                                            ...Infinitas estrelas nos separam.









Mas Vocês... 



São como Luas deste fantástico planeta onde me acolho.










Brilham de noite! 




E essa luz dá-me força para continuar a viagem.











Cansado, ergo-me...



E quando o dia nasce já andei maravilhado por muitos outros fantásticos Mundos.










E disse adeus a muitos outros que já vêm de volta.


À minha procura












E o meu espírito paira enfim, no Infinito.





...Liberto de toda a gravidade. 











       E compreendo então, maravilhado, como é que as estrelas foram feitas...












São afinal como vocês, como eu...





Mas ainda quero caminhar mais...



...muito.










Actualizada em 23 de Agosto de 2014






6 comentários:

  1. Ó meu amigo Gabriel,
    Continuas um poço de surpresas... Este texto com as imagens fizeram-me lembrar o Petit Prince do Saint Exupéry...

    Gostei do Blog e vou continuar a ler os textos, os pequenos pedaços de vida que aqui nos deixas entreaver...

    Merci mon ami...
    António

    ResponderEliminar
  2. Caíu-me bem o teu comentário como a melhor aguardente velha numa noite de trovoada.

    ResponderEliminar
  3. COMO SEMPRE UM ENCANT0
    ISABEL

    ResponderEliminar
  4. Meu caro Combatente de todos os tempos. Depois de ver a odisseia levada a cabo no resgate do malogrado Amigo Malaquias de Oliveira, meu contemporáneo na BA1-1960/61, só tenho a agradecer a difussão de tanta sabedoria e profissionalismo demonstrados em todo o seu percurso de vida. Uma vida cheias de bons exemplos e motivo de orgulho. Tal como lhe falei há uns tempos, fizemos uma romagem de Antigos Combatentes à sepultura do destemido Malaquias, cuja "estória", por si narrada, será distinguida no meu segundo livro da guerra de Moçambique. Grande abraço e bem haja.

    ResponderEliminar
  5. Meu caro Camarada, obrigado pelas suas palavras.
    Farei chegar, se elas não souberem já, as notícias dessa “romagem” à viúva e á filha do Tenente Malaquias.
    Boa sorte para o seu livro.
    Grande abraço deste seu amigo.

    ResponderEliminar