domingo, 2 de outubro de 2011

Na Guerra do Ultramar - Peso e centragem


Não é bom chatear certos aviadores!



Das várias actividades que os pilotos da Força Aérea tinham de executar no Ultramar, entre muitas outras, constava o transporte de correio ou de personalidades, por exemplo.
 

Algumas destas personalidades, felizmente poucas, eram pessoas com um grande ego e tinham dos pilotos a imagem de um condutor, que os conduziria, a ordens suas, para onde eles bem entendessem.
 

Mas quando se confrontavam com alguns pilotos, assim a modos que… mais peludos ou menos permeáveis a estas investidas, as coisas nem sempre lhes saiam bem…
 

Metangula, na Província do Niassa, Moçambique, deve ser, nos dias de hoje, um paraíso, em pleno Lago Niassa, virada ao Sol poente, aos magníficos pôr-do-sol Africanos.




Foto de José Augusto Martins. 
Metangula nos dias de hoje. A pista está na ponta direita do istmo


Metangula era, durante a Guerra do Ultramar, um aquartelamento dos Fuzileiros, com uma pequena pista construída mesmo ao rasar da água.

Foi aqui que me deparei com um dos mais caricatos episódios aeronáuticos da minha carreira. Mas este fica para outra história.
 

Havia aqui um funcionário administrativo dos de ego bem desenvolvido, ou talvez distraído, que por vezes se punha em bicos dos pés para mostrar a sua autoridade a todos (que ele achava serem seus subordinados).
 

Um dia de 1968, quando o DO-27 pilotado pelo Sargento Brochado chegou á “placa”, o funcionário esperou que o aviador saísse e disse-lhe:
 

- Eu depois vou consigo!
 

As instruções que o Brochado trazia de Vila Cabral não contemplavam tal passageiro. Mas este episódio não o beliscou minimamente.
 

Depois do almoço fizeram-se os preparativos para a viagem de regresso a Vila Cabral. 

Carregou-se o DO com o pessoal e material previsto mais… o tal excedentário senhor que sem dar cavaco a ninguém se instalara lá atrás, impante de autoridade.
 



Dornier DO-27 em voo


E o Brochado agia como se nada de especial se passasse.

Porta fechada, adeus a todos, capacete na cabeça, cintos apertados, checklist executado, o nosso aviador, antes de pôr o motor do avião em marcha, volta-se pela direita, para trás, curioso e indaga o sujeito:
 

- Desculpe lá, o senhor aí atrás pesa... para aí, quanto?
 

- 75 quilos.
 

- Temos 5 quilos a mais para a descolagem. O senhor tem de desembarcar!
 

Desembarcado o fulano, o Brochado põe o motor do DO em marcha, faz-se à pista, com o peso dentro da legalidade e descola calmamente rumo a Vila Cabral, hoje Lichinga.
 

Este meu amigo Brochado sempre foi um aviador muito certinho.

Muito competente...



(Actualizada em 28 de Agosto de 2016)



 

Sem comentários:

Enviar um comentário